segunda-feira, 31 de outubro de 2011

01 de Novembro de 2011

Ao som de Generator First Floor - Freelance Whales:


Novembro começou meio frio. E enquanto eu faço um leve movimento apenas para alcançar a caneta e anotar em um papel que ouvi repetidas vezes a mesma canção enquanto eu sinto crescer dentro de mim algo que não tem nome enquanto eu olho para quatro folhas que mostram tentativas inúteis de escrever qualquer coisa enquanto eu estou sentindo todos estes sentimentos que continuam indecifráveis enquanto o tempo passa e a vida continua lá fora enquanto a vida continua aqui dentro de mim, coração batendo, sangue correndo, lágrimas querendo escorrer pelo meu rosto sem motivo aparente enquanto penso se grito e acabo com o quase silêncio da noite que apenas é quebrado pela canção que toca insistentemente enquanto eu pisco os olhos e nada ao meu redor muda, só o tempo que enquanto passa me faz concluir que estou realmente sentindo algo muito grande que vai assim sendo passado pelo papel, mas não fica e enquanto a melodia cresce de maneira sutil meu coração dispara sem eu entender o motivo e então concluo, sem poder fazer nada com relação a isso, que não sei o que sinto embora seja enorme e esteja dentro de mim enquanto eu mal respiro e a canção se repete uma outra vez.


Por Camila Aguilera

domingo, 9 de outubro de 2011

10 de outubro de 2011


Faz algum tempo. Exatos quinze meses. Parece que faz muito mais. Deve ser a saudade. Você faz falta, meu menino. Em dias de chuva. Em dias de sol. Lembro sempre de você. Lembro sempre de nós. Conversas animadas no seu quarto enquanto ouvíamos alguma canção e combinávamos o próximo programa a ser feito e acabávamos quase sempre dentro de alguma boa livraria. Fast food em dias alegres. Abraços sinceros enquanto choro como uma criança perdida e você me diz que tudo logo vai passar. Passou. Fiquei somente com o que senti de bom. Agora mesmo ainda posso te ver me sorrindo de um lado de mesa enquanto eu dou minha melhor risada pelas bobagens que sua irmã fala. Sinto sua falta nos mais bonitos dos dias. Naqueles que são mais tediosos também. Não sei, parece que você sempre tinha alguma coisa pra me despertar da preguiça. Fico sentindo falta do barulho de pássaro cantando perto da janela do seu quarto misturado com o da caneta que eu usava pra escrever sobre todos os sentimentos que tive durante aqueles dias em que estive perto de você. Fico aqui querendo que o tempo volte. Fico aqui desejando que ele passe rápido pra que eu possa te encontrar uma outra vez. Quero o olhar firme e por vezes engraçado que só o Seu Salvotore tem. Quero o cheiro de comida boa que só a Dona Jaqueline sabe fazer. Quero o brilho do seu olhar enquanto escreve em nossas camisetas. Quero a risada estranha da Andréia ecoando em nossos ouvidos. Quero de novo andar por essas ruas e ficar observando todas essas pessoas que não tem nada a ver comigo. Quero aquela inspiração que eu tive por simplesmente estar ao seu lado. Preciso de novo dessa sensação de te abraçar e sentir como se estivesse reencontrando um velho amigo de tempos em que nem sabíamos que existíamos um longe do outro. Eu te espero de novo porque Depois de todas as tempestades e naufrágios, o que fica de mim em mim é cada vez mais essencial e verdadeiro. Eu te quero por perto porque sei que somos mais bonitos juntos.
Com amor,
Camila Aguilera


You are my sunshine, my only sunshine.