sexta-feira, 18 de novembro de 2011

18 de novembro de 2011

Eu costumava passear por entre estradas de ferro, por dias e dias, um pé em cada lado da linha de fronteira, apenas para que eu pudesse dizer que estava em dois lugares ao mesmo tempo. Você balançava a cabeça em desaprovação e de forma familiar dizia que ninguém poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo e, além disso, estar sobre trilhos de trem era ilegal, no caso, sempre um risco a correr. Querer viver um pouco, de longe, soa de forma ilegal. Trilhos são amigos das partidas. O dia em que você partiu o sol brilhava cheio nos meus olhos e até hoje eu ainda não consigo encontrá-los, mas você, você sabe onde eles estão. Eu tenho um convite para andar sobre os trilhos, que engraçado, há duas semanas atrás eu tinha você e se houvesse uma queda você não estaria ali para segurar minha mão, por um simples motivo, ninguém pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Não, nem mesmo você.


Por Menino Chico

1 comentário(s):

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/