quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

DO QUE EU ENTENDO POR AMOR


                                                                               Imagem por Paula Soraggi

Existe uma pessoa em minha vida que por mais que eu queira escrever sobre jamais será o bastante. Essa pessoa é quem me conquistou em um dia aparentemente normal. E eu digo aparentemente porque depois desse dia eu demorei muito tempo pra sentir algo que fosse ao menos parecido. Quando eu vivi o maior dos sentimentos que tive até hoje era essa pessoa que estava lá. Com o sorriso e o olhar mais bonito que já presenciei. Houve um tempo nessa vida em que eu amei tanto. Existiram meses e mais meses em que busquei essa pessoa em todas as possibilidades de paixões que tive. Nunca alcancei. Exatamente porque amor não deve ser comparado com meras paixões. Hoje – e faz tanto tempo – eu sinto como se não tivesse vivido tantos dias assim. Hoje – e faz tanto tempo – eu sinto como se tivesse vivido uma vida toda nesses dias. E de vez em quando é como se o tempo ainda não tivesse passado o suficiente. Porque essa pessoa ainda é meu presente. Porque existem todas essas cartas que me rodeiam agora e que eu nunca te enviei. Existem todas essas cartas escritas por alguém que eu não reconheço mais. Ou até reconheço, mas só quando estamos ao telefone e eu escuto a tua voz. Existem todas as canções em que você está. Os livros e frases que parecem ter sido sempre escritos para me lembrar de você. E todas as fotografias de dias em um outro lugar onde não registrei o seu sorriso. O sol já está se pondo agora. E enquanto eu te escrevo faz um frio que é incapaz de tomar meu coração nos momentos que penso em você. O vento sopra lá fora, mas nunca é o suficiente para levar embora todos os sentimentos que ainda tenho. E tenho pensado muito em você nesse começo de novembro. Nesse amor que jamais poderá ser comparado. Por tudo que você significou. Por tudo que deu errado para chegar hoje e eu pensar que não poderia ter dado mais certo. Anos depois e ainda estamos aqui. Depois de eu ter te deixado livre mesmo tendo certeza de que você não voltaria. O tempo continua passando enquanto eu só penso em continuar porque não posso voltar. Existiu dentro de um momento você e uma fração de segundos que não sei definir se me perdi ou me encontrei. Existiu dentro dessa minha vida uma pessoa que se parece muito com você e que eu amei além do que podia. Existe você dentro dessa vida que eu espero e conto os dias para poder sentir uma outra vez o abraço que durante meses foi tudo que eu quis. Por tudo que eu tenho vivido. Por todo tempo que nos permitiu amadurecer. Por todo o tempo que sempre me faz sentir sua falta. E tudo o que poderíamos ter vivido e não vivemos. Por essa pessoa que me conquistou para o resto da minha vida. Nada mais doerá a partir de agora. Só me restará essa falta que eu vou sentir em boa parte da minha vida por nunca mais ter você – que continua sendo a mesma pessoa – aqui preenchendo grandes espaços dentro de mim, assim como eu tive um dia e nem faz tanto tempo assim. 

Escrito em 03 de Novembro de 2011 por Camila Aguilera


0 comentário(s):