segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

É UMA DAS TRADUÇÕES DO QUE É O AMOR




Eu espero que esse céu que nós – de certa forma – buscamos durante toda a vida seja realmente o céu que nós buscamos durante toda a vida. Juntos. Faz calor lá fora, mas aqui dentro. Contrastes que a gente aprendeu a lidar. E nossa casa está vazia agora. Não de móveis e sons dos meus passos. Vazia de você. Transbordando de você. Não foi agora a pouco que eu percebi o quanto te amava. Eu não precisei perder para saber o tanto de amor que sentia. E sinto. Por seus olhos, mãos, sorrisos. Risos. Eu soube que te amava durante mais de cinqüenta anos. Durante todos os dias que eu mal posso contar agora. Eu vou saber desse amor até que não seja mais possível. Eu vejo esses jovens que por vezes desacreditam dos sentimentos. Nesse amor eterno descrito e inventado nesses romances de novelas, filmes ou livros. Só que eles se esquecem que deve existir uma base nessa invenção toda. Estórias nascem de histórias. E a nossa daria um bom filme, mas a gente fez questão de que fosse real. A gente ousou em uma outra época, a gente acreditou em nossos sentimentos. Houve dentro de nós dois um amor que durou para sempre e não só até quando você pôde segurar em minhas mãos que agora são tão frágeis. Houve dentro de nós um amor que nos fez enxugar as lágrimas um do outro para que depois soubéssemos o valor de uma alegria. O “até que a morte nos separe” existe e não existe, porque amor não se separa, ele se compartilha. E esse amor permanecerá e renascerá durante todos os dias. O amor continuará dentro de mim e em cada rua e em cada passo meu e  em cada sorriso de nossos filhos e em cada momento que eu me lembrar de você, de mim. De nós. 

Por Camila Aguilera

2 comentário(s):

Maria Rita Montechieze disse...

Camila amei essa homenagem... Retratou a intensidade do amor vivenciado durante quase 51 anos de casados... Papai partiu deixando muita mas muita saudade, foi um exemplo de esposo, pai, amigo... só temos boas lembranças que irão se eternizar pelo resto de nossas vidas... Mamãe leu e se emocionou com suas palavras, agradece e parabeniza pela escrita.
Você é muito especial para nós. Te amamos!

Maria Rita e Santina

Camila Aguilera disse...

Fico muito contente que tenham gostado da homenagem. Escrevi porque realmente me senti inspirada a isso, porque pela amizade que tenho com a Bruna sei do amor que existia entre os dois e entre a família de vocês. Obrigada por todo o carinho destinado a mim durante todos esses anos. Um grande abraço em todos.