quarta-feira, 4 de abril de 2012

ANTES QUE TERMINE...



- Antes que termine o dia. Ou o sentimento. Eu gostaria de te dizer algumas coisas. Antes que termine o mês. Não o sentimento. Talvez amanhã ou só ano que vem. Tenho tempo de sobra. Ou nem tanto. Não importa. Queria te dizer dos sonhos. Só que tenho apenas realidade agora. Espera. Senta e toma um café. Deixa a cerveja pra depois. Essa conversa pode demorar alguns minutos. Algumas horas. Tempo. Destina-me um pouco do seu. Enquanto eu escolho um disco com uma ou outra canção que me lembre da gente. In the light of the sun, is there anyone? Não me olhe assim. Não tive culpa. Não tivemos. O tempo brincou com a gente. Meu coração brincou comigo. Enquanto eu soube desde o inicio que existia em você uma possibilidade de amor, soube também que não existiria espaço em você para uma outra pessoa. Ao menos não o espaço que por algumas vezes desejei. Você com suas rimas. Eu com minhas palavras desconexas. Só o amor faria sentido. Não é o caso agora. Aos poucos. Não era necessário que tivesse pressa em te abandonar. Eu precisava de um pouco de paz. E isso você me trazia. Só que de vez em quando eu precisava sorrir. E então. Tudo bem. A vida é assim mesmo. Não tente entender. Eu bem que tentei quando você chegou. Certo é que eu não tentarei quando partir. Eu vou sentir um alivio. Vou te acenar em acordo. Não pense que não foi bom. Até foi. Tive tempo de pensar. De querer. Sentir. Ao menos temos de concordar que era preciso um tempo. Um outro tempo. Tudo bem. Enquanto tento te falar sobre todas as coisas que ainda estão em mim, eu penso que talvez essa não seja a melhor maneira. Na verdade, eu só estou te prendendo aqui porque quero ficar te olhando por mais alguns minutos. Enquanto a chuva lá fora molha o asfalto. Renova as esperanças. Não as minhas. Você pode ir agora. Eu não vou atrás. Não tão cedo. Eu sei que você vai voltar. E você sabe que eu vou atrás caso o pior aconteça. Acende um cigarro. O que nós poderíamos ter construído seria lindo. E nem por isso o que temos deixa de ser tão bonito quanto. Espera. Não beba tão rápido assim. Este café vai acabar com nosso estômago. Está tudo bem. Já estou terminando. Mais um pouco e eu poderei inventar um novo romance. Não sorria dessa maneira. Esse não é o momento de me apaixonar um pouco mais. Eu deveria beber qualquer coisa agora, mas as cervejas e algumas doses me fariam falar demais. E não é necessário. Durante esse tempo todo, eu sei que independente de ter escrito, falado ou silenciado, você soube que havia amor em mim por seus olhos, sorrisos e passos - que não vieram ao encontro dos meus -. A questão aqui, meu bem, é que se você sente, você paga o preço e eu estou pagando o meu. 

Por Camila Aguilera

0 comentário(s):