sexta-feira, 27 de abril de 2012

SE FAZ ETERNO


Andamos pelas cidades do país, sabemos ir até a casa de um amigo, sabemos onde fica o mercado, o médico, o restaurante, o café; mas na maioria das vezes não sabemos o nome das ruas onde ficam todos esses lugares e quando o sabemos é por mera consciência do próprio nome e da repetição do mesmo todas as vezes que precisamos ir a esses mesmos lugares.  Salvo raras exceções, no universo das avenidas, ruas, becos, escadas e escadinhas, praças e jardins, quer saibamos ou não o seu nome, não conseguimos saber quem é o Homem ou o Acontecimento inscrito nas placas que lhes dão o nome. Parece que falamos de alguém que sabemos o nome e até já vimos, mas não sabemos quem é. Sempre tive o cuidado de ler esses nomes. Ler!  E, sem querer parecer aborrecido por ter perdido o que já tinha feito pra ti ou pretensioso demais, proponho aqui dizer algumas palavras sobre um nome que cruzou a minha vida e que me faz feliz todos os dias. Assim seja. Existem tantas suposições acerca da vida da gente, o que fizemos ou que fazemos o que vamos ainda fazer, tanta coisa alheia que a gente quer pertencer e a única certeza que temos é o medo que nos pertence (falamos dele ontem, falamos dele quase todos os dias, aliás). Medo esse que nos pertence, nós que somos os verdadeiros protagonistas da vida real, não existimos nas novelas porque isso de fama é efêmero e o sonho não passa de um entretenimento. Vivemos distraídos com isto, aquilo, aquele e, sobretudo, o outro. A primeira vez que falei com você foi através do Caio, lembro sempre de você me dizer o quanto gostava das coisas que eu escrevia, no quão sempre é imenso o tempo a todas as nossas conversas, você sem muito entusiasmo, eu cheio de atenção. Dividimos sempre, partilhamos dúvidas, opiniões e, sobretudo corações. E já passamos por tantas coisas, e você ainda aqui, que feliz. Eu te enviava os meus textos e você queria que eu lesse os teus. E eu sempre ou quase sempre intervindo e questionando o porquê de tanto amor, como se fossem importantes as coisas que eu achava. Mas você sempre achou que sim, você sempre fez com que eu me sentisse importante. Às vezes ficamos dias sem nos falar e depois atropelamo-nos com tanto assunto pra colocar em dia e assunto é coisa que nunca falta, não há de faltar, porque existem sempre ideias e projetos e sorrisos e calendários, esses que não vão tardar para tudo que almejamos fazer. E temos tantas coisas planejadas não é verdade? Tantas coisas, coisas pessoais e profissionais. Eu sempre estarei aqui. Sempre vou querer saber o que tu andas a fazer nessa vida. Porque amigos servem exatamente pra isso, pra nunca esquecer. ‘Somos o que somos e não aquilo que querem que sejamos’ clichê né? Mas uma verdade maior que a gente!  Que tu saibas renascer sempre, lutar contra as coisas ruins que apareçam nesse longo percurso e que saiba aproveitar os bons momentos ao máximo. A vida é somente dois lados de uma moeda, certamente existirão as escolhas certas e erradas, mas aí, cabe a ti aprender com os seus erros, quanto a mim, vou estar aqui independente da tua escolha, você sabe disso. Sempre ‘perto de você’. O parabéns é teu, mas o muito obrigado é inteiro meu! Amo você.

(Escrito por Thiago em 16 de abril de 2012)

0 comentário(s):