domingo, 27 de janeiro de 2013

RUA DAS ANDRADAS, 1925


A gente não vai voltar pra casa. Desculpem-me por fazer vocês sofrerem, mas eu não tive culpa, pai. Eu só queria me divertir. Eu só queria beber um tanto e ser feliz, mãe. Eu queria voltar pra casa de manhã. Eu juro que queria. Se ainda há algum resto de vida, pode apostar que eu ainda quero. Eu não queria ver os meus amigos tristes por sentirem a minha falta. Os meus amigos certamente também querem voltar pra casa e eu espero de verdade que eles consigam. Abrace eles por mim. A gente não vai voltar pra casa, pai. Não sou apenas eu, tem um punhado de gente aqui. Eu acabei de tropeçar em um corpo. Entenda que eu fiz o possível, mas não deu. Eu imagino que doa. Só que o tumulto é grande, as chamas consomem e as lágrimas não estão dando conta. Assim como os extintores. Me perdoa, mãe. Eu queria te dar um beijo agora e dizer que foi apenas um susto. Eu juro que aceitaria ser xingado por inúmeros dias seguidos. Eu aceitaria qualquer coisa só pra poder voltar pra casa e olhar vocês de novo. As chamas, pai. Cuidado com elas. Eu tentei me cuidar. Eu vi centenas de pessoas na mesma vã tentativa. Não foi dessa vez que eu consegui ser gente grande e resolver o problema. Não vai ser dessa vez que você vai poder me dizer que tudo vai ficar bem. Você tem que ser forte, papai. Eu estou me sentindo como uma criança nesse momento e eu não consigo enxergar você chegando como um super-herói, arrombando a porta e salvando todo mundo. Eu não consigo enxergar muita coisa. Eu sinto que estou enfraquecendo e não vou conseguir ver o céu lá fora. Esse céu que deve estar sem estrelas por tanta fumaça. Um céu em chamas pra me receber. Eu vou para um lugar bom, não vou? Pai, cuida da mamãe. É sério. Eu amo vocês. Eu vou olhar por vocês de algum lugar seguro. Esse lugar não queima, esse lugar não me enfraquece, esse lugar não me mata. Eu queria voltar pra casa como todas as vezes em que eu discuto, bato a porta, vou pra rua e volto. Só que dessa vez não vai dar. Desculpem-me. A gente não vai voltar pra casa. Eu não vou. 

Por Camila Aguilera

0 comentário(s):