sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

FEVEREIRO DE DOIS MIL E TREZE


Depois de achar que pode estapear 
a cara do mundo com as próprias mãos,
levou socos tão violentos que caiu em si.
Sem mais ilusões, sem mais derrotas. 
Viverás de que?
Escreverás sobre o que?

Estabeleceu-se como o teu próprio moinho.
Mastigou a si mesma. 
E agora não há nada que se gere de ti.

Por Camila Aguilera