segunda-feira, 13 de maio de 2013

DIA 13



Ouvindo uma canção qualquer enquanto meus pés acompanham as batidas no chão e o som do teclado cospe na tela algumas palavras sem sentido que eu escrevo e leio enquanto nada mais me vem à mente e paro então na tentativa de matar mais um mísero pernilongo que voa após ter provado do meu sangue esse que é parte do que me mantém viva enquanto meus sonhos escapam e as ilusões se auto destroem uma a uma e é assim que a vida segue sem termos a certeza se o que nos mantém de pé são coisas prováveis como o ar que respiramos ou algo que dispara o coração e a gente nem sequer toca. 

Por Camila Aguilera