terça-feira, 15 de abril de 2014

NOTA SOBRE SEUS VINTE E CINCO ANOS

15 de abril de 2014

Pra quando você completar seus quarenta ou cinquenta anos, você saiba que tentou escrever algo sobre o seu aniversário de vinte e cinco anos. O dia era chuvoso e frio. Você ouviu “Paciência” do Lenine inúmeras vezes. Estava prestes a completar um mês que havia saído de casa. Mudado de cidade. Isso te fez bem. Você morou com boas pessoas. Estava quase acabando uma promessa de ficar sem beber por um mês. Começou a terapia. Um relacionamento havia chegado ao seu fim. Não, não o amor. Você ainda existia e sentia dentro dele. De vez em quando, te inquietava. De vez em sempre, era bonito senti-lo. E então você sentia. Com quarenta ou cinquenta anos, eu espero que você consiga se lembrar do que sentiu e por quem sentiu. Foi um tempo de hotéis, sorrisos e olhos claros. Você amou muito. Sinta-se feliz por isso. E continue escrevendo. Sobre qualquer coisa. Dias bons, dias ruins. O que te sufoca. O que te liberta. Eu desejo que você ainda tenha as pessoas que ama por perto. Independente da distância, você aprendeu onde guarda-las. Faz frio e chove. O dia não está menos bonito por isso. Vinte e cinco anos. Se tem algo que eu posso dizer, é que você está melhor do que com quinze ou vinte.  Envelhecer realmente não dói. Há um acúmulo de dias, sentimentos, chegadas e partidas. A única coisa que realmente permanece é sua própria vida, o resto serão lembranças. Por mais que tenha sido ontem ou há minutos atrás. Lembranças. As guarde e siga em frente. Independente da idade, eu espero que você assopre velas ou faça uma oração desejando apenas uma coisa: ser possível lembrar sempre de quem te fez sorrir e amar com vinte e cinco, quarenta ou cinquenta anos.

Por Camila Aguilera 

1 comentário(s):

cronistaamadora disse...

Independente da idade que tenhamos, somos um compilado de vivências daqueles UE conhecemos e nos auxiliaram, nos cuidaram. E ate daqueles que, infelizes, tentaram nos prejudicar. Somos muito de todo mundo.
Abraços.