sábado, 5 de setembro de 2015

DIA 05

Seja forte. Apenas isso. Fume um cigarro. Beba mais uma cerveja. Seja forte. Você queria ter escrito tanta coisa nesse dia. Nessa sábado. Nesse quase domingo. Somewhere only we know. Grite. Escreva qualquer coisa. Vai dar uma volta. Você quer sair por aí. Não vai adiantar nada. Você não vai encontrar quem quer. Não adianta virar a esquina. Não adianta. Não adianta andar dez. Vinte. Cem quadras. Você não vai encontrar quem quer. E olha que não é um. Não são dois ou três. São quatro. Um mais longe que o outro. Grande porcaria isso que se chama distância. Grande porcaria isso que você tem sido. Alive. Mais cigarro. Mais cerveja. Antes acompanhada. Agora sozinha nessa sala meio fria. Venta. Venta. Faz frio. Você não sai do lugar. Não vai adiantar. Seja forte. Pense. Pense. Lembre. Recorde. Se doa. Vai doer sim. No surprises. Logo vai ter mais. Ninguém sabe o buraco que abre. Ninguém sabe que o buraco parece não fechar. Só você. A vida segue sim. Você sabe. Ninguém salva. Vai tentar entender. Muita bebida. Muito cigarro. Muita terapia. Pouca escrita. Não salva. Fosse muito. Não salva. O velho e o moço. Você nem gosta do estrago. Você não gosta do que parte. Te parte ao meio. Só que não sabem. Seja forte. Seja forte. Seja.