terça-feira, 29 de dezembro de 2015

DIA 28

Para ouvir ao som de Wish you were here – Pink Floyd
Para que você chegue ao final de dois mil e trinta e cinco ou até mesmo muitos anos após isso e você tenha algo para se reencontrar com o fim desse ano. Se você estiver se sentindo em paz. Se você estiver se sentindo cansada. Se você achar que precisa de algo do seu passado. Reviva o que escreveu. Acredito que seus textos serão seus elos mais fortes com tudo que viveu. E não pense que terá algo muito extenso por aqui. Você vai se esforçar. Você tem se esforçado há quatro dias para deixar algo escrito sobre o ano de dois mil e quinze. Vinte e oito de dezembro. Segunda-feira. Onze e nove da noite. Seu avô assiste TV do seu lado. Alguma daquelas porcarias que vocês sempre entravam numa discussão boba sobre o que era pior, os programas que você assistia ou os programas que ele assistia. Talvez mais tarde você se dê conta de que era tudo no mesmo nível. E dê risada. Como sempre ri quando está ao lado dele. Talvez quando você ler esse texto, você se lembro com saudade dele. Do som do acordeão que ele tocava todas as manhãs. Tem alguns dias que você voltou pra casa. Você tem encontrado certa dificuldade em se encontrar nos últimos meses. Seja aqui. Seja em qualquer outro lugar. Teve um dia que você escreveu algo como “envelhecer não dói”... Dois mil e quinze veio pra te mostrar o quão mentirosa é essa frase. Envelhecer dói. Dói muito. Todas as partidas que o envelhecimento, essa porcaria de vida adulta traz, dói pra caralho. Quando você chegar ao final de dois mil e trinta e cinco ou atém mesmo muitos anos após isso, eu espero que você se lembre desse ano não com as lembranças dos que partiram, mas sim de como, de alguma forma, eles permaneceram na sua vida. Apesar do tempo. Apesar da distancia. Sobreviver a esse ano onde a maioria dos seus amigos foram embora foi doloroso. Só que você percebeu que a vida continua. Às vezes um pouco sem graça. Às vezes sem vontade de falar sobre outra coisa além da saudade que sente. Só que você continua. Existe um curso pra ser terminado. Existe um ciclo pra ser fechado. Existe um trabalho pra dar conta. Você tem ido muito bem no seu trabalho. Vale a pena ressaltar isso. Em caso das coisas estarem difíceis por esses anos, tente se lembrar das voltas que você deu por cima. Seja forte. Permaneça forte. Quando você chegar ao final de dois mil e sei lá o que, eu espero que você se lembre não do que te partiu ao meio, mas do que te ajudou a continuar. E se você pensar sobre o amor. Se você se questionar se não houve nenhum grande amor – ou paixão que fosse -. Saiba que dois mil e quinze foi o ano que você mais amou. Basta abrir uma cerveja. Basta olhar pra essa fotografia.